Curso de Aperfeiçoamento em Mediação Familiar com ênfase em Alienação Parental

No dia 16 de agosto de 2014, o Mediata promoveu o curso de aperfeiçoamento em Mediação Familiar, com ênfase em Alienação Parental, o curso constou com palestrantes convidadas que trouxeram sua visão sobre o tema.

A primeira intervenção foi de Verônica A. De Motta Cezar-Ferreira, que trouxe o tema da Mediação Familiar Importância e Caracterização em uma Visão Psicojurídica, onde foi abordado o paradigma da contemporaneidade e a nova forma de pensar os conflitos familiares, o endereçamento para alienação parental e os aspectos básicos da mediação familiar para essa finalidade

Na segunda parte, Mirian Blanco Muniz, tratou do tema da Alienação Parental, onde só quem está envolvido num divórcio, vivencia a animosidade que paira num caso de família. E é nessa oportunidade que o mediador pode identificar a prática da alienação parental. Nesse momento, debatemos sobre os comportamentos típicos do alienador, motivos manifestos e latentes e reações típicas e os critérios de identificação da criança alienada.

Por fim, Glória Mosquéra, trouxe o tema das Oficinas de Parentalidade, e pudemos conhecer a parte prática de três projetos desenvolvidos no Rio de Janeiro, que reforçam a responsabilidade parental: Escola de Família, Escola de Filhos e o Projeto Bem me quer. Os projetos buscam trazer à consciência dos pais a compreensão das conseqüências do litígio na vida emocional dos filhos com foco na qualidade das relações.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ser Mediador

Ser mediador de conflitos é ser humano com outro Ser Humano. É gostar de pessoas, de ouvir com paciência e cuidado o outro. Ouvir é uma arte que o medidor deve dominar, garante um procedimento tranqui

Workshop

"Workshop de Mediação Escolar e Círculos Restaurativos" O objetivo deste workshop é apresentar técnicas de mediação que auxiliem os profissionais de educação a lidar com os conflitos escolares. ​ Como

Drogas nos condomínios, ações e possíveis soluções

Escrito por Jussara Rodrigues Sartini Nas áreas comuns do condomínio, a responsabilidade pela boa convivência e bem-estar de todos depende das normas regulamentadas na Convenção e, sobretudo, às leis